Dicionário das ruas, parte 1

Você conhece as gírias que são faladas entre a população em situação de rua? Aqui vamos explicar algumas para vocês entenderem melhor as histórias do SP Invisível.



Durante todos esses anos, ouvimos centenas de histórias no SP Invisível de cidadãos em situação de rua. Todas estão em nossas páginas. Ao longo desse período, aprendemos diversas gírias com os nossos irmãos e nossas irmãs que estão na calçada e fomos ficando fluentes no dicionário das ruas. Quer saber mais? Leia então algumas e seus significados na parte um do dicionário da histórias do SP Invisível.


MANGUEAR


"Manguear" nada mais é do que pedir. Muitas pessoas usam isso, falando como que conseguem seu dinheiro. Já ouvimos diversas vezes - "prefiro manguear por aí do que roubar". Então, sempre que você ouvir "manguear", saiba que é pedir.


FILAR UMA BOIA

Sabe quando você bate aquela pratada? Come pra caramba? Então, isso é "filar uma boia", é comer e comer bem. Ou, às vezes, é só comer mesmo. Sempre ouvimos, por exemplo, - "vou lá no 'Bom Prato' filar uma boia", que quer dizer que a pessoa vai comer uma marmita no "Bom Prato".



MALOCA

A "Maloca" é a casa que montam nas ruas pra se proteger do frio, dos bichos, de tudo, principalmente para ter privacidade. Não é de hoje que, infelizmente, o rapa da prefeitura quer tirar todas as malocas das ruas e das calçadas, com a justificativa de que está obstruindo as vias para os transeuntes. Porém, na falta de políticas de moradia adequadas, é a moradia que encontraram para sobreviver e ter seu momento com seus companheiros, com sua intimidade e seu descanso.



MOIÔ

Se reencontramos alguém, por exemplo, que tinha nos falado de uma entrevista de emprego, perguntamos - "e aquele trabalho lá?" - e se a proposta não deu certo, nos falam - "aquele trampo lá, moiô". O "moiô" quer dizer "deu ruim", não deu certo e etc. Ou pode ser uma aviso, também, pra algo que vai dar errado. Por exemplo, quando o rapa está chegando e gritam "olha o rapa, moiô, moiô". Tudo isso tem em nossos relatos no SP Invisível.


EMBAÇADO


"Embaçado" é difícil. "Por que você não faz isso?" ou "Por que você não faz aquilo" - "ah, isso é embaçado". Ou pode ser até um verbo - "minha esposa vai embaçar na minha se eu fizer isso" que seria a mesma coisa que "minha esposa vai dificultar pra mim se eu fizer isso". Entender as ruas é embaçado, mas rapidinho você pega.


FAZER UM CORRE


"Fazer um corre" é a gíria que usam pra trabalho. Por exemplo, é muito comum ouvirmos quando vamos abordar alguém - "agora não consigo falar porque tenho que fazer um corre ali do lado e pegar uns recicláveis que deixaram pra mim". Esse é o corre das ruas, é o catador, é o vendedor de bala, é o descarregador de caminhão. A rua tem trabalho e está sempre correndo pra lá e pra cá, para não ter que "manguear".



CAMELAR


Por fim, nessa edição do nosso Dicionário das Ruas, o "camelar". Pelo que um camelo é conhecido? Por andar muito no deserto, não é mesmo? Então, camelar é andar muito, andar pela cidade toda. Por exemplo, "camelei até pra encontrar esse endereço, mas até que enfim, eu encontrei". Vamos um dia camelar com a gente nas nossas ações!


Sigam o SP invisível no Instagram, Facebook e Twitter.



Inscreva-se na newsletter da SP

para receber mais notícias! 

Obrigado!