Qual é o perfil de quem mora na rua?

Para além dos estereótipos, quem são as pessoas que mais ocupam as calçadas da cidade?



Infelizmente, ainda há um forte estigma associado à população em situação de rua como “vagabundos” que “escolheram” ficar naquela condição. Porém, o último levantamento censitário nacional sobre o perfil da população em situação de rua revela que a realidade é bem distante do senso comum.


Para a maioria da sociedade, quem se encontra em situação de rua são pessoas descompromissadas e que escolheram estar ali. Mas, muitas vezes, o que as levaram para a rua foi justamente a falta de escolha.


Esses indivíduos são frequentemente tirados da condição de seres humanos: suas histórias, nomes e complexidades são desconsiderados. Na rua, estão pessoas comuns, como eu e você. Muitas passaram por traumas, quebra de vínculos, abusos, decepções ou perderam seus empregos e suas vidas para vícios.




A última pesquisa nacional que fez um levantamento relativo ao perfil da população em situação de rua é de 2009. Isso mostra que, para além da invisibilidade em meio à sociedade, podemos destacar o descaso do poder público com esse grupo.


E ainda que exista a carência de dados oficiais, a realidade nos mostra muito além do que números poderiam confirmar. Na pesquisa nacional sobre a população em situação de rua, foi comprovada a predominância de homens (82%) em relação às mulheres em situação de rua; a proporção de negros é substancialmente maior (67%) comparado aos níveis encontrados na população geral (44,6%); além de que 63,5% não concluiu o primeiro grau, 17,1% não sabem ler e escrever e apenas 8,3% assinam o próprio nome.


Logo, é evidente que a população de rua é majoritariamente formada por homens negros que não tiveram acesso ao sistema escolar formal. Solucionar esse problema é um grande desafio, já que existe uma correlação de fatos históricos como desigualdade social e racismo estrutural.


Porém, é possível atenuar essa dolorosa realidade a partir da inclusão da população em situação de rua no mercado de trabalho, espaços culturais e instituições de ensino, por exemplo.


Quer saber como?

Conheça nosso projeto e ajude a população em situação de rua!


Fonte: Pesquisa nacional sobre a população em situação de rua (2009).


Siga a SP invisível no Instagram, Facebook e TikTok.



 

INSCREVA-SE NO NOSSO PORTAL E RECEBA MAIS NOTÍCIAS

Obrigado!