SP Invisível participa do “E tem Mais”, podcast da CNN Brasil

O episódio “desafios da pandemia: os efeitos da crise nos indicadores de pobreza e trabalho” conta com a participação do nosso cofundador, André Soler.


Ouça na íntegra:


Reprodução: CNN Brasil


André Soler, cofundador da SP Invisível, deu uma entrevista recente a CNN Brasil sobre a mudança do perfil da população em situação de rua ao longo dos anos.


A apresentadora Carol Nogueira aponta dados da pandemia que foram decisivos para prejudicar a qualidade de vida da população brasileira: aumento da pobreza e piora de diversos indicadores sociais que escancararam ainda mais a desigualdade social e resultaram no consequente aumento da população em situação de rua.


Segundo o censo divulgado pela prefeitura de São Paulo, a população em situação de rua cresceu 31% entre 2019 e 2021. Diante disso, a entrevistadora levanta os seguintes questionamentos:


Carol Nogueira: Quem são as pessoas que estão nas ruas? O que a SP Invisível constatou nos últimos anos?


André Soler: Durante nossos 8 anos de existência notamos o crescimento dessa população. Não são necessários os dados concretos do censo para constatar o aumento vertiginoso da população em situação de rua, nosso dia a dia já nos diz muito. É um exercício de observação. Nos últimos anos, em especial, houve um crescimento ainda maior em decorrência da pandemia.

Dessa forma, nosso trabalho aumentou. Nós, como SP Invisível, buscamos levar um serviço diferente daquilo que o Estado oferece. Queremos proporcionar uma experiência de cuidado individualizado. Não só captamos as histórias, mas ajudamos as pessoas que estão conversando conosco.


Carol Nogueira: A pandemia foi um fator determinante para o aumento dessa população?


André Soler: Sim. É chocante o aumento da população em situação de rua desde o início na pandemia até os dias de hoje. O perfil dessas pessoas mudou. Antes, a população em situação de rua era formada majoritariamente por homens. Hoje, essa tendência se mantém, porém também se encontram nas ruas um grande número famílias e mulheres. A instabilidade econômica, aliada ao desemprego e ao desamparo estatal bem como o aumento dos índices de violência doméstica contribuíram para que esses grupos integrassem o esse novo perfil da população em situação de rua.


Carol Nogueira: Qual o tamanho do desafio social que enfrentamos?


André Soler: Com essas mudanças no perfil da população em situação de rua, devemos ampliar nosso olhar para esse problema social. Essas pessoas precisam ser cuidadas. É preciso que sejam construídos muitos abrigos para acolhê-las e locais que promovam a reinserção social desse grupo.


Carol Nogueira: Em que medida os fatores econômicos estão associados aos sociais? O que a economia traz que amplifica nossos desafios sociais?


André Soler: A desigualdade social fez com que a pobreza crescesse ainda mais. Precisamos repensar muitos hábitos para quem sabe construir uma sociedade mais igual. Pessoas em situação de rua não devem ser um problema restrito ao Estado, também temos que assumir nossa responsabilidade enquanto cidadãos visto que essa é uma questão socio estrutural. Cada um de nós tem o potencial de ajudar alguém em situação de rua.


Carol Nogueira: O que o poder público tem feito e ainda falta fazer para mudar a realidade que estamos vivendo nesse momento?


André Soler: As estruturas públicas são muito engessadas, o que dificulta que haja de fato alguma transformação. O Estado precisa oferecer habitação, acolhimentos de qualidade e uma vida digna para pessoas em situação de rua.


Siga a SP invisível no Instagram, Facebook e TikTok.


 

INSCREVA-SE NO NOSSO PORTAL E RECEBA MAIS NOTÍCIAS

Obrigado!